quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

O Grande Bazar Ferroviário

O Grande Bazar Ferroviário é um livro do escritor americano Paul Theroux, um dos mais relevantes autores de livros de viagem do século passado.
Somos, como se pode verificar através de uma pesquisa pelos livros aqui analisados, grandes fãs de literatura de viagens. Muito mais do que livros que nos indicam hotéis ou praias de sonho interessamo-nos pelas viagens que descrevem os ambientes e nos revelam as pessoas, ou seja, o lado mais intimo (dentro do possível) que os viajantes têm para nos revelar.
Paul Theroux é um dos grandes escritores de viagens do século XX e as suas obras são algumas das mais lidas dentro desta categoria. Theroux é um escritor de renome não se tendo cingido a este género.
O Grande Bazar Ferroviário narra uma viagem de comboios de Londres a Londres mas com passagem em Istambul, Paquistão, Camboja, Japão ou União Soviética e em comboios tão famosos como o Expresso do Oriente, o Expresso da Noite ou o Transiberiano, comboios e viagens que fazem parte do imaginário de todos aqueles que gostam de viajar neste meio de transporte e que reconhecem as vantagens do mesmo.
O Grande Bazar Ferroviário é um livro fascinante que nos permite ter uma ideia complementar do continente asiático da década de setenta não obstante o facto de o autor não ter tido autorização para passar por alguns países emblemáticos. O confronto existente entre os comboios de locais como a Tailândia ou o Vietname e os japoneses e europeus auxilia-nos no processo de compreensão das diferenças económicas e culturais entre povos que partilham a grande eurásia mas que têm da sociedade ideias bem diferentes. Ademais, Theroux apresenta-nos ainda um conjunto interessantíssimo de personagens com quem partilha percalços, aventuras e sorrisos e que são, indiscutivelmente, o epicentro desta obra.
O Grande Bazar Ferroviário é um grande livro de viagens e que apaixonará, certamente, todos aqueles que gostam deste género. Dentro da categoria – e embora não seja um dos nossos favoritos – é um excelente exemplo!