quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O Inverno do Mundo

O Inverno do Mundo é o segundo livro da trilogia O Século do escritor britânico Ken Follett.
Tivemos, no início do segundo trimestre do ano passado, a oportunidade de ler o primeiro volume desta trilogia: A Queda dos Gigantes. Na altura esse livro não nos deixou a melhor impressão. Embora fosse um romance histórico (género que apreciamos) a verdade é que nos parecia existir alguma falta de cuidado na construção da narrativa. O período escolhido para esta série – o século XX – é relativamente conhecido por muitos leitores o que dificulta a vida de quem escreve. Algumas referências a personagens e factos históricos eram desnecessários.
As coisas não se alteram significativamente neste O Inverno do Mundo. Follett escreve livros como se fossem novelas. Capítulos relativamente curtos quase sempre com a dose certa de suspense. Essa é uma velha fórmula capaz de cativar quase todos os leitores. Connosco não é substancialmente diferente.
Muitas das personagens mantém-se em relação ao primeiro volume. Outras surgem (nomeadamente os descendentes dos primeiros). Cumprem todas um papel central na história do século XX: lutam na Guerra Civil Espanhola e na Segunda Guerra Mundial, assistem à ascensão de Hitler ao poder ou acompanham o desenvolvimento da bomba atómica. Claro que no domínio de um romance tudo é possível mas para leitores mais exigentes a narrativa não é verosímil. Pessoalmente, quando lemos um romance histórico, gostamos que a construção da narrativa pareça provável. Isto não acontece com esta trilogia de Follett.
Note-se que, e apesar de tudo, a leitura até nos pareceu mais agradável do que a do primeiro livro. As personagens são interessantes e ficámos interessados no desenrolar dos acontecimentos. Ademais, nem sempre se nota o preconceito moral do autor na discrição dos factos que norteiam a história do século XX.
O Inverno do Mundo não é um livro extraordinário. No entanto, se não partirmos com grandes expectativas, torna-se uma leitura leve e agravável que permite passar bons momentos.

Sem comentários: