domingo, 27 de outubro de 2013

A Morte em Veneza

A Morte em Veneza é uma obra do escritor alemão e vencedor do Prémio Nobel da Literatura Thomas Mann.
A escrita de Mann é prodigiosa pela elegância conferida a cada uma das frases. As palavras, escolhidas criteriosamente, adquirem uma beleza extrema e uma proporcionalidade perfeita.
A Morte em Veneza é um livro curto e incisivo que, decorrendo (em grande parte) em Veneza, poderia ter por objecto físico uma miríade de outras cidades em cujo valor estético se sobrepusesse à racionalidade prática.
Nesta obra conta-se a história de Aschenbach, um escritor alemão consagrado que procura descanso em Veneza. Os factos que permitem construir a narrativa são de somenos porque o objecto da obra se centra numa reflexão sobre o belo e a situação moral do artista. Especial relevo para o facto de Aschenbach, enquanto artista, criador, procurar a sua inspiração numa musa que no caso em concreto se consubstancia na figura de um adolescente polaco chamado Tadzio. A estranha e perversa paixão de um homem maduro por um adolescente (que nunca se materializa) é o fio condutor que permite introduzir as profundas reflexões sobre a beleza que encontram as suas origens na arte grega e na filosofia platónica.
A Morte em Veneza é um grande livro. Não obstante o facto de a história ser um mero instrumento para as meditações de cariz filosófico a excelência da escrita de Mann é um perfume que se prolonga muito para além das curtas páginas deste livro.