quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

A Guerra do Fim do Mundo

A Guerra do Fim do Mundo é um extraordinário romance do peruano vencedor do prémio Nobel da Literatura em 2010, Mario Vargas Llosa.
A nossa primeira experiencia com Vargas Llosa não foi a melhor. Há alguns meses tivemos a oportunidade de ler A Casa Verde e sentimo-nos bastante desiludidos. Uma história confusa, uma miríade de personagens, vários tempos cronológicos, para além de uma temática pouco aliciante foram factores decisivos para a nossa frustração!
Nada disso acontece com A Guerra do Fim do Mundo. Um romance baseado em factos verídicos, passado no Brasil no final do século XIX, que narra os acontecimentos verificados no estado da Baia, no lugar de Canudos, onde uma figura de contornos místicos/proféticos dá início a um processo de natureza messiânica que conduziu a uma verdadeira guerra civil e a milhares de mortos.
Vargas Llosa é um escritor de grande nível. As suas personagens – mesmo em A Casa Verde – são profundamente detalhadas (sobretudo a nível psicológico). É também um exímio contador de história. A capacidade que demonstra em construir mundos ficcionais – neste caso menos em função de estarmos perante factos verídicos – repletos de imensas e detalhadas personagens é fruto não apenas de um brutalíssimo trabalho mas também de um enorme e evidente talento.
A Guerra do Fim do Mundo é um livro violento. Não poderia deixar de ser de outra forma dada as circunstâncias dos factos romanceados. A guerra, seja ela qual for, é sempre dramática. Esta, que opôs o governo republicano brasileiro a civis – ainda de caboclos, ladrões, facínoras – tocados pelo Espírito Santo na figura de António Conselheiro, talvez, pela proximidade cultural, cause ainda maior perturbação. Interessante que a imensa panóplia de personagens inclua as diferentes perspectivas em contenda. Interessante também, o jogo político, e as múltiplas dicotomias ideológicas que são também abordadas no livro.
A Guerra do Fim do Mundo é um livro magnífico e um escritor que teremos, talvez, avaliado mal na nossa primeira leitura. Para todos aqueles que desejarem conhecer um pouco mais relativamente aos acontecimentos registados no Nordeste brasileiro no final do século XIX e ao mesmo tempo quiserem fazer uma viagem à intriga, à política e às ideologias do ocaso de oitocentos, este é um livro a não perder!