domingo, 27 de novembro de 2011

Gente Pobre

Gente Pobre foi o primeiro romance do escritor oitocentista russo de Fiódor Dostoiévski.
Dostoiévski é, certamente, um dos maiores escritores da história. Autor de obras mundialmente conhecidas (como Crime e Castigo, Os Irmãos Karamazov, O Idiota), deixou marca profunda no mundo das letras.
Nos romances de Dostoiévski que já tivemos oportunidade de ler, é-nos possível encontrar um traço distintivo que passa pela origem humilde – por vezes mesmo miserável – das suas personagens. Para além da natureza modesta, é possível ainda afirmar que as personagens dos seus livros tendem com facilidade para a auto-humilhação.
Em Gente Pobre é-nos descrita a história de um homem e uma mulher, ambos muito pobres, que trocam cartas relatando os seus dias, as suas experiências e até um pouco do seu passado. É interessante verificar que ao longo da narrativa, a já muito negativa situação financeira inicial, degrada-se ainda mais. Por conseguinte a humilhação é ainda mais evidente!
Fiódor Dostoiévski foi um grande escritor, isso é inquestionável. No entanto, Gente Pobre não foi um livro que nos tivesse nos tivesse proporcionado uma leitura muito agradável. O autor é sempre livre de contar a história que entende! E o leitor de gostar – ou não – da forma como a história é contado! Talvez não fosse necessário fazer passar as personagens por tantas agruras.
Gente Pobre, embora tendo sido escrito em fase precoce na vida do autor, é um bom livro. Longe, no nosso entender, de ser dos mais brilhantes, mas interessante, sobretudo para quem se não importar de ver as personagens sofrer do princípio ao fim do livro!

Sem comentários: