domingo, 12 de junho de 2011

A Nuvem de Smog e A Formiga Argentina

A Nuvem de Smog e A Formiga Argentina são dois contos da autoria de Italo Calvino e que, juntos, compõem um dos mais interessantes livros do escritor italiano.
Nos últimos anos temos vindo a ler, pausadamente, a obra do grande mestre italiano Calvino. Entre Cidades Invisíveis, Todas as Cosmicómicas, O Barão Trepador e outros, temos encontrado sempre livros que nos prendem pela irrealidade onde nos fazem navegar, pela loucura expressamente declarada e ilusão maravilhosa com que presenteiam o leitor.
Este livro, que junta dois pequenos contos, é um pouco diferente. Em a A Nuvem de Smog, a história de um homem, anónimo, que percorre as ruas do quotidiano, e onde parece ser personagem secundária. Um conto tentado a tornar-se outra coisa qualquer, como refere o próprio autor. Bem verdade. A Nuvem de Smog, poderia muito bem ter sido um romance e não um conto.
Em A Formiga Argentina, a história de uma invasão de formigas na Riviera. Por vezes, os críticos de literatura, tendem a ter visões extrapoladas sobre a obra dos autores. E Calvino nega, neste caso, as interpretações feitas por estes críticos que viam uma realidade onírico-kafkiana aponto-o como o mais realista e biográfico conto que escreveu na vida.
Calvino é um escritor que nos prende sempre às suas narrativas. Sejam pintadas sobre a realidade ou fruto de uma miraculosa imaginação, Italino Calvino tinha a imensa capacidade dos grandes contadores de histórias. A Nuvem de Smog e A Formiga Argentina é um excelente exemplo destas duas realidades.

1 comentário:

djamb disse...

Acabei de ler o meu primeiro livro de Italo Calvino (Se numa noite de Inverno um viajante) e deliciei-me! Quem sabe se este não se seguirá? :)