terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A Cidade e as Serras

A Cidade e as Serras é uma obra do escritor português oitocentista, Eça de Queiroz.
Ao longo dos últimos anos temos vindo, aqui, a fazer várias críticas/análises das obras do mestre português Eça de Queiroz e nunca escondemos a admiração desmedida que sentimos por este autor que consideramos o maior de sempre!
O estilo crítico de Eça, fundamentado numa profunda análise da sociedade, dos seus vícios e das suas figuras mais rocambolescas, filtrado pela pena impar de um narrador sublime, é, sempre, uma lufada de realidade e de actualidade.
Em A Cidade e as Serras surge a dicotomia entre a realidade do campo e a da cidade. O confronto entre a modernidade, da tecnologia, da moda e da decadente nobreza francesa de oitocentos, representada pela cidade e a placidez, a tranquilidade, a simplicidade e a alegria do campo representado pelas serras.
Eça é maravilhoso! E as suas personagens são absolutamente deliciosas! Jacinto, o rico proprietário refugiado em Paris, nos Campos Elísios, devido à fuga do seu antepassado miguelista, e Zé Fernandes, o seu remediado amigo que o acompanha pelo faustoso mundo parisiense e mais tarde na serra em Portugal.
A Cidade e as Serras é um grande livro. Aliás, como são todos aqueles que surgiram da mente do maior vulto do romance português de todos os tempos! E, à semelhança de muitas das suas outras obras, avulta em A Cidade e as Serras a impar capacidade de ser um romance intemporal. A cidade versus o campo é um antagonismo que não morreu em meados do século XX. Permanece viva! E com redobrado interesse neste inicio do século XXI! Recomenda-se, portanto, com muito interesse!

5 comentários:

Anónimo disse...

Tenho uma certa relação afectiva com este livro (recebi-o como prémio de um concurso quando estava no Secundário) e de vez em quando vou matar saudades. Fascina-me principalmente a descrição do campo, da sua vida simples e rude, a contrastar com a modernidade do palacete. Tem também um certo humor subtil e simples que nos transporta para aqueles tempos e acabamos envolvidos na leitura. De longe, o meu livro preferido de Eça de queirós.

JK disse...

Do Eça ainda só li "Os Maias", estava com medo de ler este livro, pois todos me diziam que Eça escrevia muito e dizia pouco... acabei por perceber que essas pessoas não deviam gostar minimamente de livros pois achei-o genial! Mal posso esperar por ler "A cidade e as serras"

JK disse...

Lê, e opina!
http://universoparteleira.blogspot.com/

Lívia disse...

Gosto muito do Eça, já li A relíquia e O primo Basílio e pretendo ler todos os romances dele, recomendo muitíssimo!
abs
www.mundopos.blogspot.com

miGuel pesTana disse...

Gostei de ler este livro do Eça.é muito bom.Já lá vai uns 5 anos que o li.

Parabens pelo blogue.Tá recheado de coisas boas

silenciosquefalam.blogspot.com