segunda-feira, 22 de novembro de 2010

A Invenção de Morel

A Invenção de Morel é um livro do argentino Adolfo Bioy Casares pela primeira vez publicado em 1940.
Esta foi a primeira obra que lemos de Casares, que nos presenteia com um livro poderosíssimo sobre a simbiose imperfeita entre a loucura e o maravilhoso mundo do fantástico, no qual a personagem principal vive a ilusão de uma realidade mágica que julga conhecer e que, depois de revelada, resulta na confusão da própria personagem com o sonho anterior vivido.
A Invenção de Morel é uma obra extraordinária e de enorme originalidade. Um homem que, fugido da justiça, se refugia numa ilha deserta e vê, semanalmente, repetidas as mesmas imagens e acontecimentos, prostra-se numa vã tentativa de compreender o inverosímil e de assimilar, ao ponto de se apaixonar por uma imagem!
O mundo dos sonhos, ou dos hologramas – que é o caso do presente livro – no qual os indivíduos não distinguem da realidade corresponde a um caminho perigoso. Julgamos ser para essa realidade que chama a atenção Casares. Um mundo de sombras, cavernas e fumos, onde nada é o que parece.
Casares é um escritor extremamente culto, cultura essa que se reflecte na sua obra! Só um autor de excepção consegue verbalizar uma ideia tão fabulosa! A escrita é simples, apesar da complexidade da temática, tornando A Invenção de Morel num livro acessível para a generalidade dos leitores.
A Invenção de Morel é um grande livro! A sua mensagem, fascinante, é de utilidade extrema numa sociedade de Homens que lutam por distinguir entra a ficção e a realidade! A ler, sem dúvida!

2 comentários:

Í.ta** disse...

taí uma literatura na qual ainda vou mergulhar fundo: a de bioy e tantos outros argentinos.

abraços.

Lívia disse...

Descobri os escritores argentinos faz pouco tempo. Adoro Borges, pra mim é o melhor escritor do mundo meeeesmo. Aí conheci Leopoldo Lugones com seus contos de ficção científica, muito interessantes! O Adolfo Bioy Casares vai ser o próximo...!