quarta-feira, 26 de maio de 2010

Sputnik, meu amor

Sputnik, meu amor é mais um livro do magnífico e best-seller escritor japonês Haruki Murakami.
Ao longo dos últimos anos temo-nos habituado a ler com imenso prazer e expectativa a obra de Haruki Murakami que consideramos o maior e mais talentoso escritor do panorama literário internacional. A intensidade e o absurdo surrealista que está presente nos seus livros são absolutamente cativantes e suscita-nos sempre os mais entusiasmados pensamentos e as mais profundas reflexões. Daí que tenhamos optado por ler os seus livros a conta-gotas, para que não arrisquemos a ter um overdose do autor.
Sputnik, meu amor é um bom livro, interessante, cativante, enternecedor e com personagens ao bom estilo de Murakami: com uma dose de insânia e surrealismo saudável. Apesar de tudo, Sputnik, meu amor é, possivelmente, das obras de Murakami que até ao momento tivemos oportunidade de ler, a menos interessante de todas.
Note-se, apesar de tudo, que o livro não deixa de ser bom. Continua transportar-nos para o mundo da ilusão e fantasia a que Murakami já nos habituou. O problema é que talvez não seja suficiente. De Haruki Murakami esperamos sempre o mais irreal possível, esperamos sempre que nos surpreenda com aquela mitologia japonesa que está presente em grande parte das suas obras e, infelizmente, Sputnik, meu amor, sabe-nos a pouco.
Não pensem, não obstante, os fãs de Haruki Murakami que podem não gostar do livro. Pelo menos nós gostámos muito e aconselhamos a sua leitura. O que dizemos é que pode, eventualmente, não ser o melhor e mais interessante livro de Murakami.

4 comentários:

Lucie disse...

Um excelente livro... que, sabe a pouco...

:)

TERESA SANTOS disse...

Conheço quase toda a obra de Haruki Murakami e, sem dúvida, o "Sputnik, meu amor" é o menos bem conseguido. É que estamos perante um autor que nos habituou a um fantástico com tanta qualidade, que agora, nem tudo nos satisfaz.
De qualquer maneira, recomenda-se a sua leitura.

Filipe de Arede Nunes disse...

Lucie,

Estamos quase de acordo... Sabe a pouco e é um bom livro. Mas não é excelente!

Teresa,

Completamente de acordo.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Francisco Castelo Branco disse...

é o unico que me falta na colecçao Murakami.

Pensava que era sobre contos.

TAlvez Murakami tivesse pouca "fantasia" na altura