segunda-feira, 17 de maio de 2010

A Queda

A Queda é um livro de Albert Camus um dos brilhantes autores franceses do século XX e expressão incomparável da literatura existencialista e do absurdo.
A literatura de Albert Camus é das mais difíceis e cativantes que temos tido oportunidade de analisar. Os seus romances/ensaios são sempre de uma profundidade existencial perturbadora, as suas personagens contaminadas de um magnetismo atroz e perturbador e os ambientes criados revelam ponderação e enorme capacidade de abstracção.
A Queda segue bem a linha daquilo que temos lido em Camus. Um homem que encontra casualmente outro homem e com o qual constrói um intrincado de anti-diálogos no qual o primeiro se pronuncia sobre a sua vida e o papel numa realidade que é toda ela absurda e metafísica.
Esta é a narrativa de um juiz-penitente que se confessa ao mesmo tempo que avalia o mundo que o rodeia. As considerações que tece sobre o género humano, sobre as suas falhas, convulsões e incapacidades, coloca em causa a simplicidade com que a Vida é avaliada e experimentada. É uma obra de enorme profundez e abrangência.
Camus não é um escritor cujo significado da obra encontremos desde a primeira página. É complexo e, cremos nós, desejou sempre sê-lo. A Queda segue a linha do autor e é também um livro genial. Se recomendamos? Será possível não recomendar a obra dum arauto da existência e da reflexão?

2 comentários:

djamb disse...

Os livros de Camus são geniais :)

Titinha disse...

Bem não podia concordar mais, Camus é genial, existencialismo no máximo requinte. Mas difícil literatura Diria antes sublime, tão sublime que só a poucos penetra completamente, mas quando o faz, deixa marcas intemporais. Tipicamente magnífico, é impossível cansarmo-nos de Camus. Viciante.