segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Todas as Cosmicómicas

Todas as Cosmicómicas é uma obra do italiano de origem cubana Italo Calvino.
Já aqui comentámos este fantástico e original escritor e tecemos elogios merecidos. Um livro deve expor uma determinada narrativa. A generalidade dos autores é capaz de o fazer com interesse e competência mas são muito poucos os que o conseguem fazer com genialidade, originalidade e brilhantismo. Estas são características reservadas apenas aos melhores e àqueles que se conseguem, efectivamente, distinguir.
Italo Calvino é um destes escritores que têm, quase obrigatoriamente, de ser lidos. A sua delirante imaginação, a sua impar capacidade de trazer à tona os mais profundos pensamentos sobre os quais se debruça o Homem são marca de génio e de vanguardismo literário e filosófico.
Todas as Cosmicómicas é um livro com vários contos onde Qfwfq, personagem principal, disserta sobre temáticas tão esotéricas como a origem da terra, das aves, dos meteoritos ou dos cristais e também sobre problemáticas tão filosoficamente densas como a noção de espaço e tempo.
Esta obra não é, devido à sua componente esotérica e metafísica, um livro fácil. Muitas vezes é, inclusive, difícil situarmo-nos no contexto da obra e seguirmos a complexidade do pensamento transcrito. Mas Todas as Cosmicómicas é um livro genial e como tal deve ser lido.

4 comentários:

Margarida Graça disse...

Depois de ler o seu comentário, é sem dúvida um livro que fica nos primeiros da minha lista de espera.

luis aguilar disse...

Atenção! "Todas as Cosmicómicas" não é nenhuma obra do Calvino, como declaras no início do post: é uma colagem, que alguém, provavelmente alguém da Teorema, se lembrou de fazer, das agora sim obras "Cosmicómicas" e "Novas Cosmicómicas". Os originais já tinham sido publicados pela Teorema, já há uns anitos valentes. Fica a correcção, ;)

tonsdeazul disse...

Outro escritor que admiro pela sua capacidade de ser realmente um verdadeiro contador de histórias.
A primeira obra que li foi "Se numa noite de inverno um viajante". Esta conta-nos muitas histórias dentro de uma história. É tão fascinante e viciante que leva o leitor a querer conhecer todas as outras histórias que ficam por terminar...
De Calvino não saberei talvez dizer qual a minha obra preferida, mas a que referi acima, a trilogia "Os Nossos Antepassados", "As Cidades Invisíveis" e "Marcovaldo" são sem dúvida grandes referências.

tonsdeazul disse...

Outro escritor que admiro pela sua capacidade de ser realmente um verdadeiro contador de histórias.
A primeira obra que li foi "Se numa noite de inverno um viajante". Esta conta-nos muitas histórias dentro de uma história. É tão fascinante e viciante que leva o leitor a querer conhecer todas as outras histórias que ficam por terminar...
De Calvino não saberei talvez dizer qual a minha obra preferida, mas a que referi acima, a trilogia "Os Nossos Antepassados", "As Cidades Invisíveis" e "Marcovaldo" são sem dúvida grandes referências.