segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

No teu deserto

No teu deserto é a mais recente obra do escritor/jornalista português Miguel Sousa Tavares que desta feita no trás aquilo a que o próprio designa por quase romance.
Neste livro Sousa Tavares, que é provavelmente um dos melhores escritores portugueses da actualidade (é pelo menos um dos mais vendidos), oferece ao leitor uma estória com contornos bem pessoais e baseados em factos verídicos. Sousa Tavares escreve de uma forma harmoniosa e tem o maior talento dos grandes narradores descritivos: sabe pintar com as cores certas os momentos indicados.
Este é um livro que nos descreve o amor. O cenário é o deserto do Sahara com todo o misticismo que decorre da vida/presença nestes locais. Como em muitos de livros que descrevem o amor por vezes sentimos que existe um excesso de melifluidade nas palavras escolhidas e na forma como as situações são relatadas. Nada de muito grave apesar de tudo, a lembrar a literatura do brasileiro Paulo Coelho, mascavada de uma espiritualidade um pouco forçada.
Este é também um livro que nos relata uma viagem. A aventura de viajar com um jipe de fabrico português no final dos anos oitenta dá-nos uma sensação de façanha que ajuda a preencher o nosso imaginário.
Miguel Sousa Tavares é um bom escritor e No teu deserto é um bom livro. Lê-se de um trago e deixa-nos sonhar um bocadinho e permite afastarmo-nos da realidade que nos consome durante tanto tempo da nossa vida. Aconselha-se a sua leitura, especialmente a quem andar perdido.

5 comentários:

djamb disse...

Nunca li nada de Miguel Sousa Tavares, mas parece-me que este será um bom começo :)
Boas leituras!

Bill disse...

Miguel Sousa Tavares é verdadeiramente um escritor mediano e pouco impressionante. Está ao nível de uma Margarida Rebelo Pinto ou de um Pedro Paixão. Graças a uma débil cultura literária é um dos mais vendidos em Portugal, sim. Harmoniosa a sua forma de escrever?! Esforça-se até às lágrimas para imprimir fluidez e intensidade ao texto, e a verdade é que borra o livro com essas lágrimas, sendo incapaz de esconder esse infantil esforço. Grandes narradores descritivos?! Espero que não o estejas a por ao nível de um Camus ou de um Goethe, de um Lobo Antunes ou de sensacional Dos Passos. Descreve o amor?! Sugiro: "O Adeus às Armas". Paulo Coelho?! Outro dejecto. Lê-se de um trago!? Também os Harry Potter. Eu talvez ande perdido, mas não é Sousa Tavares certamente que lerei.

teresa disse...

Finalmente alguém com a mesma opinião que a minha sobre esse "escritor" Sousa Tavares.
Bill, deves ser meu irmão gémeo.
Já perdi o meu tempo a ler o Equador e No teu deserto. O homem é realmente mediúcre, convencido, etc.

tonsdeazul disse...

Gostei imenso de todo o ambiente e personagens do "Equador", mas depois o "Rio das Flores" já não me preencheu da mesma forma. Ficou muito aquém das minhas expectativas, daí que nem quis arriscar a leitura deste.

Marco Caetano disse...

É interessante ver que temos opiniões bem distintas. Certamente todas elas válidas.

Eu assumo que gosto do escritor Miguel Sousa Tavares, mas não o digo nem por sombras se falarmos da pessoa Miguel Sousa Tavares.
Já tive oportunidade de ler, Equador, Rio das Flores e No teu deserto. Também já li o Adeus às armas que o Bill recomenda, e confesso que gostei mais de qualquer um dos do Sousa Tavares, se bem que também gostei do Hemingway.

Enfim, letras diferentes!

Continuação de boas letras....