terça-feira, 24 de março de 2009

O Tigre Branco

O Tigre Branco é o romance de estreia Aravind Adiga, autor indiano, que ganhou em 2008 o Man Booker Prize.
Este livro é uma brilhante sátira ao universo indiano, no qual o autor através da sua personagem principal – um jovem indiano de nome Balram – escreve uma carta ao primeiro-ministro chinês descrevendo a sua vida desde a sua miserável meninice até ao momento em que se torna um empresário de sucesso da cidade de Bangalore.
Esta obra é deliciosa. A escrita é simples, sem rodeios e de um realismo brutal, capaz de descrever minuciosamente – sem ser de maneira nenhuma entediante – a vida de um jovem indiano de uma casta baixa que sobe a pulso na vida até atingir o sucesso.
A Índia é um país continental. Entre os seus mil milhões de habitante existem profundas desigualdades sociais impostas por um sistema de castas que tem sido objecto de profícua literatura.
Para nós, ocidentais, é-nos difícil compreender a realidade pintada por Adiga e outros autores que escrevem sobre esta temática, mas ao mesmo tempo que assumimos a dificuldade devido às intrínsecas diferenças culturais, não conseguimos deixar também de nos sentir fascinados por um mundo que ainda hoje é mágico.
Ficámos muito bem impressionados pelo estilo de Adiga. É um primeiro romance de um nível bastante elevado. Naturalmente que aconselhamos vivamente a leitura desta obra.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Kafka à beira-mar

Kafka à beira-mar é uma obra do japonês Haruki Murakami que nos conta a estória de Kafka Tamura e de Nakata, duas personagens cujas vidas estão intrinsecamente ligadas através de uma estranha relação de causa/efeito e cujas vidas são como duas linhas que de aproximam paulatinamente até se interceptarem numa brutal colisão.
Murakami é um escritor absolutamente alucinante e brilhante. A sua obra é cativante e perfumada de uma doce estultícia. Escreve aquilo que ainda não tivemos oportunidade de ler em mais nenhum autor mas que apesar de tudo se aproxima um pouco do surrealismo kafkiano no que diz respeito à originalidade e abstracção das suas narrativas.
A narrativa desta estória está directamente ligada ao mito de Édipo e a uma profecia oracular. Conta-nos como Kafka Tamura procura respostas que saciem o seu desejo de aprofundar o conhecimento do seu “Eu” e como Nakata vive imbuído num espírito de demanda que não consegue compreender.
As personagens deste livro tocam-nos. O dedo miraculoso de Murakami projecta no leitor a sombra da alma da sua criação, fazendo-nos entrar na profundidade do pensamento abstracto e tentacular de uma imaginação surrealista e constantemente surpreendente.
Murakami é um génio, mas não devido à sua escrita que não deixa de ser fluida e agradável. É um génio porque tem a capacidade de nos transportar a um mundo que apenas poderia existir na sua imaginação, onde um homem tem a capacidade de falar com gatos e de prever que chovam sanguessugas e onde as mascotes de uma multinacional norte-americana assumem a forma real.
Kafka à beira-mar é um livro a não perder. É uma lição de vida sem que o autor assuma pretensões moralistas, um livro que nos transporta para um universo único e que nos dá espaço para reflectir em face das perguntas para as quais não dá resposta.

segunda-feira, 9 de março de 2009

O rapaz do pijama às riscas

O rapaz do pijama às riscas é um pequeno livro do irlandês John Boyde que conta a estória de Bruno, um jovem alemão e da sua família depois do pai deste ter sido designado comandante do campo de concentração de Auschwitz.
Bruno é a personagem principal deste livro, um jovem alemão que em virtude das vicissitudes da 2.ª guerra mundial é obrigado a mudar-se de Berlim para Auschwitz, terra inóspita e onde não encontra amigos com quem brincar, sendo confrontado frequentemente com a brutalidade que não consegue compreender de um regime que tem dificuldade em aceitar.
Depois de chegar a Auschwitz Bruno conhece um rapaz da sua idade – o rapaz do pijama às riscas – no outro lado da vedação que divide a sua casa do campo de concentração, forjando com este uma amizade profunda e inocente própria e exclusiva das crianças.
Boyde oferece-nos uma estória extremamente emotiva, simples e impressionante. Talvez seja mesmo a única forma de explicar o holocausto a jovens, sem no entanto fugir dos pormenores mais violentos e confrangedores.
O rapaz do pijama às riscas foi um livro que nos surpreendeu pela positiva sobre uma temática de muito difícil abordagem e se mais motivos não existissem, estes seriam suficientes para recomendarmos a sua leitura a todos, mais e menos jovens.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Sementes Mágicas

Sementes Mágicas é um romance de Vidiadhar Surajprasad Naipaul, escritor britânico de ascendência indiana que venceu o prémio Nobel da literatura em 2001, que retrata a estória de um indiano chamado Willie e a sua luta para a auto-descoberta, onde se verifica o confronto entre a dúvida constante e a necessidade de valorizar a existência.
Willie é um indiano que vive numa roda-viva constante. Depois de ter vivido em Londres casa-se e muda-se para uma antiga colónia portuguesa onde vive 18 anos até abandonar a sua esposa e se mudar para Berlim onde se encontra a sua irmã.
Aí, começa a desenvolver esforços, com a ajuda e patrocínio da sua irmã, para se juntar a uma luta armada no seu país por libertação das castas mais desfavorecidas, problema que nesta obra ocupa a mais importante centralidade da mesma, procurando o autor defini-la aos olhos de um homem confuso com o seu papel na história e incapaz de encontrar a sua verdadeira vocação.
Após o falhanço na sua demanda, Willie regressa à Inglaterra onde se vai ver mais uma vez confrontado com a sua demanda incessante por encontrar um lugar no espaço e no tempo que, com o passar dos anos, se torna cada vez mais difícil.
Naipaul escreve sobre sobre a identidade cultural de um povo, sobre o exílio e sobretudo sobre a condição humana, colocando a nu muitas das fragilidades do Homem. A sua escrita é clara e sem frívolos, capaz de nos prender à sua leitura e de nos cativar para a narrativa. Muito mais do que um romance sobre uma personagem é uma obra sobre o Homem que aconselhamos àqueles que procuram mais do que a mera fantasia e uma leitura intemporal.