quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Servidão Humana

Servidão Humana é um grandioso livro – estende-se por mais de 700 páginas – do inglês Somerset Maugham e talvez a sua obra-prima.
Temos vindo, ao longo dos últimos anos, a ler a obra deste escritor inglês (que foi também um dos grandes dramaturgos do século XX) com avidez e cautela, sendo que não podemos deixar de destacar O Fio da Navalha. A ASA fez agora o favor de republicar este fantástico romance.
Maugham é dotado de um enorme talento e capacidade de expressão. A sua escrita é leve, sem floreados ou arrebites, mas não deixa de ser profunda pelas questões que suscita e pelas personagens que são descritas.
Em Servidão Humana encontramos, como o próprio autor no prefácio refere, traços autobiográficos e experiencias reais reflectidas. Em Philip Carey, personagem central desta obra, verificamos existirem decalques da vida de Maugham podendo aquele ser considerado como um alter ego do autor. E Servidão Humana é um livro sobre Philip Carey, jovem órfão, que se vê confrontado com as dúvidas da juventude: Deus, a existência, o significado da vida, o destino, o amor, a condição humana.
Há obras marcantes, não tanto pela narrativa, mas sobretudo pelas questões que suscitam. Servidão Humana junta as duas coisas. Encontramos uma narrativa apaixonante (acompanhamos Philip Carey deste a juventude até à idade adulta), onde sofremos juntamente com a personagem, mas ao mesmo tempo somos despertados para um conjunto de questões de natureza meta-filosófica e sobre as quais não conseguimos deixar de pensar.
Servidão Humana é, reconhecido pela generalidade dos críticos, um dos grandes romances do século XX. A sua leitura é absolutamente obrigatória.

5 comentários:

Tinkerbell disse...

quero mt ler este livro! bjs**

Iceman disse...

Caro Filipe,

este é apenas e um so um dos livros da minha vida.
Abraço

TERESA SANTOS disse...

Li a "Servidão Humana" há uns anos.
Estamos, sem dúvida, perante um livro de leitura obrigatória. As questões levantadas nesta obra são de sempre, e tão actuais!...
Abraço.

Ana disse...

É mesmo um livro obrigatório de ler!!!!

Dreamfinder disse...

Obrigada por mais uma excelente sugestão. Feliz Natal.