sexta-feira, 1 de maio de 2009

Shalimar o Palhaço

Shalimar o Palhaço, é um romance de Salman Rushdie autor de língua inglesa, que mais do que contar uma simples estória se mostrou ser mais uma obra-prima literária.
Rushdie optou neste livro por contar, primeiramente, uma estória sobre Caxemira, território no norte do subcontinente indiano e sobre os graves problemas político-religiosos que afectam aquela região do planeta desde a independência da Índia e do Paquistão.
Este é também um livro de amor. O amor de um muçulmano – Shalimar o Palhaço – por uma hindu – Boonyi – o amor de um embaixador americano de origem francesa pela sua filha – Índia – o amor de um povo multicultural pela sua terra.
A analepse foi o recurso estilístico escolhido por Rushdie para contar esta estória. O livro inicia-se com o assassinato de Max Ophuls por Shalimar o Palhaço e toda a narrativa se desenrola a partir daí, através de uma caracterização precisa e brilhante de cada uma das personagens principais, dando a conhecer os seus mais íntimos pormenores recorrendo ao seu passado.
Rushdie é verdadeiramente um autor talentoso. Antes de entrarmos no livro a sua escrita pode parecer um pouco pesada e violenta e a sua atenção perfeccionista aos pormenores e às referências de natureza cultural e histórica pode ser até enfadonha, mas a partir do momento em que dominamos completamente a estória das personagens o livro torna-se magnifico.
Naturalmente que Shalimar o Palhaço é um livro que aconselhamos. Rushdie pode estar, mais dia, menos dia, à beira de ser premiado com um Nobel. Oxalá assim seja, é um artista das palavras e tem uma obra universal.

1 comentário:

Menphis disse...

Concordo plenamente com esta critica, Rushdie é um autor onde nos custa muito a "entrar" dentro da história ( talvez devido a alguns termos islâmicos)mas depois de o fazermos não conseguimos largar. estou ansioso por ler " A Feiticeira de Florença" o seu último livro. Infelizmente, é difícil para ele ganhar o Nobel, por duas coisas,por uma razão politica, visto que o mundo árabe ficou ofendido com ele por causa de um livro, por outro por causa de Pamuk, os estilos são parecidos .