segunda-feira, 9 de março de 2009

O rapaz do pijama às riscas

O rapaz do pijama às riscas é um pequeno livro do irlandês John Boyde que conta a estória de Bruno, um jovem alemão e da sua família depois do pai deste ter sido designado comandante do campo de concentração de Auschwitz.
Bruno é a personagem principal deste livro, um jovem alemão que em virtude das vicissitudes da 2.ª guerra mundial é obrigado a mudar-se de Berlim para Auschwitz, terra inóspita e onde não encontra amigos com quem brincar, sendo confrontado frequentemente com a brutalidade que não consegue compreender de um regime que tem dificuldade em aceitar.
Depois de chegar a Auschwitz Bruno conhece um rapaz da sua idade – o rapaz do pijama às riscas – no outro lado da vedação que divide a sua casa do campo de concentração, forjando com este uma amizade profunda e inocente própria e exclusiva das crianças.
Boyde oferece-nos uma estória extremamente emotiva, simples e impressionante. Talvez seja mesmo a única forma de explicar o holocausto a jovens, sem no entanto fugir dos pormenores mais violentos e confrangedores.
O rapaz do pijama às riscas foi um livro que nos surpreendeu pela positiva sobre uma temática de muito difícil abordagem e se mais motivos não existissem, estes seriam suficientes para recomendarmos a sua leitura a todos, mais e menos jovens.

8 comentários:

Livros e Outras Coisas disse...

Também o dvd contendo a adaptação da obra ao cinema já está disponível e, não é de natureza nada leve. É uma perspectiva diferente do holocausto, aquela que mais facilmente chega às crianças e as leva a compreender tamanha catástrofe sem muitos artifícios de cinema, sem muito tempo. Curiosamente, outra das facetas destacadas, naqueles depoimentos que o dvd oferece, lança luz sobre todos os que nada sabiam sobre "a solução final", ainda que do outro lado da vedação, pois cada comandante era submetido a um juramento, comprometendo-se a não revelar nada a respeito, nem mesmo à família.
O filme é breve, mas não deixa de ser pungente e cruel.

Livros e Outras Coisas disse...

e não é*

Pedro disse...

Estou com bastante expectativa quanto ao livro E ao filme! Esperemos que não me traia ;) Mas pelo que dizes será muito bom!

Cristina Bernardes disse...

Vou hoje começar a ler este livro. Não tendo nascido em Portugal mas sim num dos países mais afectados pela II Guerra Mundial, durante os meus estudos de adolescentes vários foram os livros que analisamos e lemos sobre o holocausto. Para quem quiser continuar a ler sobre este tema, existem autores e livros como: "A bicicleta azul" de Regines Deforges; "O adeus a mulher selvagem" de Henri Coulonges; "Le silence de la mer" de Vercors... entre tantos outros

Cristina Bernardes disse...

Disse que ia começar a ler e já acabei agora... não consegui parar. ADOREI. Recomendo, é livro que mexe com os sentimentos mais profundos do ser humano.

Filipe de Arede Nunes disse...

Cristina,

É um livro que se lê de um trago. E está tão bem escrito que não poderia ser de outra forma.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Paula disse...

Este livro deixou-me, como alguém disse, pendurada num fio de dor.
É um final que não se espera.

Dreamfinder disse...

Sim, também gostei muito deste livro. E, tal como dizes, é surpreendente a forma como o autor (a propósito não é Boyde, mas Boyne) conta a crianças (e não só) uma história de tamanha monstruosidade. E como nos mostra que, aos olhos das crianças, tudo é diferente. Tudo tem um motivo. E o outro lado da cerca é sempre o melhor. Mesmo que vistam pijamas e ostentem olhares infelizes. Uma excelente sugestão.

http://biblioteca_vania.blogs.sapo.pt/58686.html