sábado, 25 de outubro de 2008

Fome

Fome, é uma obra do laureado com o prémio Nobel da Literatura no ano de 1920, Knut Hamsun, que retrata a os devaneios de um jovem escritor confrontado com a pobreza extrema e a fome.
Este livro, que conta com um prefácio de Paul Auster, é considerado por muitos uma verdadeira obra-prima literária do final do século XIX e que terá influenciado autores como Franz Kafka e Henry Miller.
Hamsun, descreve, utilizando a personagem como narrador na primeira pessoa, a vida de um jovem escritor na cidade de Kristiania (actualmente Oslo). Desde a primeira página, somos confrontados com a vida diletante de uma personagens que não consegue arranjar maneira de providenciar pelo seu sustento.
A personagem, que vive numa agonia diária em virtude de não ter o que comer, deambula pelas fantasiosas tentativas de produzir artigos para jornais da cidade, numa luta desenfreada com a satisfação das suas necessidades mais básicas. Na maior parte dos dias, não tem o que comer e não é capaz de pagar um alojamento. Apesar da miséria extrema com que é confrontado, a personagem consegui resistir, quase que estoicamente, a se tornar num pedinte ou ladrão.
Ao longo da narrativa, ficamos muitas vezes com a ideia de que esta personagem – quase que a única, porque nenhuma das personagens secundárias tem destaque suficiente – vive num estado de loucura, provavelmente induzida pela fome que o impede de raciocinar e de optar pelas soluções mais vantajosas.
Apesar de tudo, a loucura de que falamos, é susceptível de ser confundida com uma profunda luta interior da personagem que batalha arduamente por se guiar de acordo com um elevado padrão de moralidade. Daí que se recuse a roubar; que não aceita esmolas; que, apesar da miséria absoluta em que vive, faça o possível por ajudar os mais pobres.
Este é um livro interessante. Uma visão realista de uma sociedade em concreto. Um jovem, habituado a conviver com as mais altas classes sociais, erudito, vê-se mergulhado numa desgraça que o destrói.
Desta forma, não deixaremos de aconselhar esta obra de Hamsun e de esperar que outros livros do mesmo autor sejam publicados no nosso país.

4 comentários:

Miar à chuva disse...

Tenho mesmo de confessar a minha ignorância e admitir que não conhecia este livro nem o seu autor!
A ver se num futuro próximo leio.
Obrigada pela sugestão Filipe.

http://vidasdesfolhadas.blogspot.com/

Butterfly disse...

Ainda não li nada deste escritor, mas já tenho ouvido falar sobre esta obra !

Tinha ficado curiosa e agora ainda mais !
Certamente, um livro para colocar na lista de espera ! ;)

Livros em 2ª Mão disse...

Certamente um livro a ter em conta. Estava em grande expectativa para ler a tua opinião e agora fico à espera da oportunidade de ler o livro.
Da breve descrição feita, fez-me lembrar 2 livros, mais ou menos sobre este tema: "Na Penúria em Paris e em Londres" de George Orwell e "Crime e Castigo" de Dostóievski (embora ainda só tenha conseguido ler até meio do livro).

Pedro disse...

Não conhecia-o por ser prémio Nobel, mas ainda bem que reeditaram a obra ^_^ Estou atento a mais sugestões e ao livro! Parece uma boa aposta, embora o tema seja muito comum...