terça-feira, 23 de setembro de 2008

Ensaio sobre a cegueira

Ensaio sobre a cegueira é uma genial obra do Nóbel português José Saramago, que retrata uma sociedade atingida por uma cegueira generalizada e os seus efeitos nas pessoas e na organização do mundo.
Esta obra de José Saramago, que é nas suas próprias palavras "um livro brutal e violento", faz apelo ao mais fantasmagóricos sentimentos que povoam o espírito humano, através de uma alegoria brilhantemente conseguida baseada da cegueira - num entendimento que não será meramente literal, mas profundamente metafórico.
A estória deste livro não se passa em nenhum local em particular. Sabemos, pelas informações que o autor nos fornece, que o seu centro é uma cidade, mas sem região, país, ou continente.
As personagens não têm nome, sendo que o autor nem sequer nos dá a sua idade. As personagens são identificadas pelas suas profissões, ou por alguma caracteristica que as possa distinguir uma das outras.
A falta de caracterização profunda das personagens revela, no nosso entender, um dos principais objectivos de Saramago: esta é um livro que conta uma estória que poderia ser de qualquer um.
Esta é uma obra, na nossa opinião, que entra bem fundo na natureza do ser humano, quando confrontado com a anarquia - ainda que no caso decorrente de uma realidade estranha à humanidade.
Apesar de ser um mero exercicio teórico, estamos em crer que Saramago terá conseguido desenvolver com realismo e plausibilidade a sua ideia.
Face ao que escrito supra, não podemos deixar de aconselhar esta obra brilhante do Nóbel português, sem, uma vez mais, deixar de alertar os possiveis leitores para a violência e brutalidade da descrição.

4 comentários:

Butterfly disse...

Olá !

Apesar de alguma reticência que sempre tive relativamente a José Saramago, não pude deixar de ficar completamente rendida perante a magistral obra "Ensaio sobre a Cegueira " !

Por isso, deixo tb aqui a minha opinião sobre o livro ( igualmente publicada no meu blogue ):

Ao longo de 300 páginas de constante aflição, somos confrontados com a emergência de uma inexplicável e incurável cegueira que abate-se repentinamente sobre uma cidade não identificada, originando o seu desmoronamento e consequente perca de tudo aquilo que consideramos sinónimo de civilização.

Através de uma narrativa épica, brutalmente rica em emoções, assistimos à forma como o Ser Humano reage diante de situações insólitas, aquilo que pode suportar em nome da sua sobrevivência, bem como de tudo o que de bom e sobretudo de mau é capaz, denunciando todas as fragilidades de organização da actual sociedade moderna.

Rendemo-nos à evidência de que as pessoas tornam-se realmente quem elas são, a partir do momento em que não podem julgar a partir do que veêm.

O livro é de tal forma envolvente que passamos as linhas a evitar pestanejar, não vamos nós ficar cegos ou simplesmente perder a noção do que vemos ...

djamb disse...

"Ensaio Sobre a Cegueira" trata-se de um livro imperdível, sim.
A escrita de Saramago é inconfundível, as suas personagens dotadas de uma enorme profundidade, a narrativa satírica dotada de uma visão simplista mas totalmente necessária nos dias de hoje.
Gostei muito do blog, voltarei!

Joana Pinto disse...

Estou a meio da leitura de Ensaio Sobre a Cegueira e subscrevo inteiramente as palavras deste post!
Parabéns pelo blogue!

Pedro disse...

Gosto imenso dos livros de Saramago, e este foi lido há bastante pouco tempo, ainda fresco na memória a imagem de repugnância e complexidade da obra.

Sem dúvida, um excelente livro de um merecido Nobel. É, talvez, das suas obras mais violentas, e é com algum nojo que chegamos a meio do livro, com vontade de parar e descansar sem ter vontade de vomitar.

Um livro sobre a condição humana, sobre o inominável, sobre a alma e o corpo. Imperdível.
Brevemente veremos o filme!