sexta-feira, 25 de julho de 2008

A Quinta dos Animais

A Quinta do Animais, em Portugal mais conhecido por O Triunfo dos Porcos, é uma obra de George Orwell, que através do recurso a uma parábola faz a critica ao sistema totalitário comunista da União Soviética, através do recurso à vida numa quinta após a expulsão dos humanos do seu controlo.
Este livro é genial. O autor conseguiu de uma forma quase perfeita recriar a revolução soviética e o regime comunista que aí vigorou a partir de 1917, apenas com o recurso a animais.
Os animais desta quinta são verdadeiros personagens tipo, sendo que cada espécie representa uma classe hierárquica do regime soviético: os porcos, a classe dirigente; os cães, a polícia política; as ovelhas, os seguidores obtusos; os restantes animais, os trabalhadores que paulatinamente se transformam em escravos.
A parábola não poderia estar mais bem conseguida. Efectivamente, quem conhece a história sabe que o regime comunista soviético transformou uma revolução socialista numa ditadura totalitária, onde a propaganda era utilizada para camuflar a verdadeira realidade económica e social, onde o trabalho abundava ao contrário das expectativas criadas, onde a polícia política perseguia todos os que se manifestavam contra o regime, onde aqueles que opinavam de forma contrária, eram afastados, perseguidos e culpados de todos os falhanços, onde o líder eram adorado como um herói, onde a classe dirigente vivia na opulência e o povo na penúria e onde a realidade era transformada e alterada consoante a vontade dos dirigentes.
Apesar de ter sido escrito durante a Segunda Guerra Mundial, este livro releva já uma enorme noção da realidade do regime soviético e apesar de ser contrária à moda da altura, revela uma lucidez fenomenal.
Não há forma de escapar à obra de Orwell. Este livro segue a mesma linha do 1984, profundamente ideológica e política e surge-nos como um alerta para a realidade que por vezes tende a fugir debaixo dos nossos pés à medida em que nos habituamos a conviver com a liberdade e com a democracia.
Esta é uma obra que não poderíamos deixar de aconselhar e mais ainda, recomendar.

2 comentários:

meldevespas disse...

Orwell, eu diria mesmo que absolutamente indispensável para os amantes do mui distinto e amado regime que todos comnhecemos por democracia e que tantas vezes é colocado literalmente na gaveta.
Aproveito para dizer, que gostei muito do blog, até porque já por aqui vi alguns autores que aprecio muito, Eça, Murakami, S. Maughahm, Kafka.

Marcelina disse...

Não poderia concordar mais com o que aqui já foi escrito. Orwell consegue explicar de um modo muito claro e simples as andanças do poder, de como se chega lá, da sede de poder e de tudo o que muito facilmente se diz e faz de modo a convencer quem se tiver de convencer...
Terei de destacar também o "Admirável mundo novo", "1984" e "Farenheit 451". Todas elas verdadeiras obras-primas sobre política e regimes políticos. E que não se enganem os "tolos" que de simples estas obras não tem nada...

Gostei muito do seu blog e certamente por cá andarei mais vezes. :D

Abraço.